IA pronta para o 6G e melhorar as comunicações

Mesmo todo o mundo ainda dando pequenos passos para a implantação das redes 5G, já existem pessoas que pensam na próxima geração de transmissão de dados, e as mesmas afirmam que a fonte dela está na inteligência artificial.

Segundo os pesquisadores Andrei Stoica e Giuseppe Abreu, da Universidade Jacobs na Alemanha, a IA será o motor de propulsão para as próximas gerações de tecnologias móveis e aplicativos voltados para a inteligência de máquinas. De acordo com eles a Inteligência Artificial terá uma presença marcante no futuro.

“Para aproveitar o verdadeiro poder de tais agentes artificialmente inteligentes, a IA colaborativa é a chave. E pela natureza da sociedade móvel do século 21, fica evidente que isso só poderá ser alcançado por meio de comunicações sem fio”, disseram.

Os avanços necessários, segundo Stoica e Abreu, permitiram a interconexão veloz entre agentes com IA. Isso reflete na coordenação de carros autônomos em grandes cidades que sofram com uma grande quantidade trafego de veículos.

Além de uma otimização da rede, outras aplicações geradas pelo 6G vão incluir o monitoramento e planejamento de mercado financeiro, a otimização de serviços de saúde e a possibilidade de prever e reagir instantaneamente a eventos conforme eles vão acontecendo.

“Essas interações serão primordiais para resolver problemas cujas soluções vão demandar conectividade maciça, grandes volumes de dados e latência ultra baixa – e isso é muito mais do que as redes 5G hoje oferecem”, afirmaram.

Brasil quer regular uso de IA

O Projeto de Lei proposto em Brasília tem como objetivo “estabelecer os princípios para o uso da Inteligência Artificial no Brasil”. Com 7 artigos, a PL trata sobre os princípios aos quais o desenvolvimento da inteligência artificial deve seguir. Ela também aborda que o uso da Inteligência Artificial precisa estar condicionado a ser um uso facilitador para uma decisão humana.

O autor do projeto, o senador Styvenson Valetim fala que “como se observa, não se trata de frear o avanço da tecnologia, mas de assegurar que esse desenvolvimento ocorra de modo harmônico com a valorização do trabalho humano, a fim de promover o bem-estar de todos.”, disse.

O projeto foi encaminhado para a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática e está sendo analisado pela relatoria da Casa, que decidirá se a PL terá continuidade ou não no Senado.

Limite da privacidade nas redes sociais com a LGPD

Os escândalos mundiais relacionados a vazamento de informações pessoais de usuários em redes sociais são nos dias atuais, uma coisa cada vez mais constante e está se tornando comum mesmo sendo algo perigoso para todos, tanto para empresas que se responsabilizaram pela proteção daqueles dados, quanto para quem teve suas informações expostas.

Tais informações são ativos valiosos de propaganda, marketing e direcionamento de vendas para as empresas, pois as mesmas pois com esses dados, as empresas dispõe de destalhes sobre as preferências de seus clientes, podendo assim prestar serviços de forma cada vez mais diferenciados a cada consumidor.

Quando colocamos em campo a Lei Geral de Proteção de Dados, que começa a vigorar a partir de agosto de 2020, é importante lembrar que as organizações serão responsabilizadas por qualquer vazamento, independentemente do método de coleta que tenha sido adotado. Esse se torna um grande desafio para a gestão, que tem que se modificar em relação ao armazenamento dessas informações, e adotar uma nova pratica para obter esses dados de cada cliente.

Pensando nisso, o setor corporativo têm corrido para se adaptar, e mudar o que será feito com as informações que recebem, fazendo desse processo mais claro e transparente.

O momento das empresas para construírem ou reformular sua cultura de transparência é esse, criando um plano de ação para executar os controles necessários, e trazendo novos investimento em segurança da informação, tudo isso de forma clara junto ao consumidor, sem brechas nem letras miúdas.

LGPD impulsiona procura por backup em farmácias

Termômetro, Dor De Cabeça, Dor, Pílulas, Medicação

Com o prazo de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados se aproximando, muitos laboratórios e redes de farmácia já começam a buscar formas de ampliar seus serviços externos de backup e segurança de informações sigilosas. Isso vale para farmácias que trabalham com serviço de assistência e disponibilizam prontuários eletrônicos ou arquivamento de dados de CPF, receitas médicas ou exames devem se adequar à legislação, em relação ao correto armazenamento e proteção de dados de seus pacientes.

Em um mundo que está cada vez mais digital, os dados estão se tornado as partes mais valiosas em uma empresa. E por isso, ter um backup pode evitar grandes prejuízo financeiro além da exposição de seus profissionais e clientes em caso de vazamento de dados pessoais.

“A solução de backup, que parece tão simples, mas ainda é negligenciada por algumas empresas, pode ser comparada a um seguro de vida. É o último recurso que resta diante da ocorrência do problema”, afirma o fundador e CEO da NT-UX.

As empresas que não se adequarem à nova lei devem pagar uma multa de até 2% do faturamento.

Notas fiscais que podem ser emitidas pelo MEI

Empreendedor, Inicialização, Start-Up, Homem

Existem vários tipos de notas fiscais disponíveis para o microempreendedor individual, e mesmo sem a obrigação de emitir esse tipo de documento quando realiza vendas a pessoas físicas, o MEI precisa emiti-los quando a compra é feita por uma pessoa jurídica. Hoje vamos fala dos tipos de notas fiscais que o MEI pode emitir.

O primeiro modelo é o tipo mais simples e econômico de nota fiscal. A Nota Fiscal Avulsa pode ser emitida após solicitação à SEFAZ. Mas por mesmo sendo mais simples de se fazer, se torna difícil pois muitos estados visando economia em papel não disponibilizam mais este tipo de nota.

Uma opção para o modelo anterior está na nota fiscal avulsa com emissão eletrônica, está também é um modelo simples e por isso é a mais utilizada por MEIs e por pequenas empresas, pois é emitida diretamente na internet, podendo ser impresso a qualquer momento e entregue ao cliente. Entretanto, cada NFA-e pode conter, no máximo, 10 itens diferentes discriminados, e caso sua transação seja de um número superior de itens será preciso a emissão de mais de uma nota.

Outra alternativa é a Nota Fiscal Eletrônica, esta apenas é obrigatória para empresas deixando a emissão desse documento dependente da vontade do MEI. A emissão é feita com base em um sistema disponibilizado pela prefeitura da cidade. Para sua emissão, o empreendedor deve ter um software além de um certificado digital. O certificado digital atua para garantir a autenticidade de seus documentos.

Por último está a Nota Fiscal do Consumidor, esse modo foi um dos mais utilizados, mas atualmente o MEI não conta mais com a opção de emitir a NFC. Essa emissão em papel foi substituída por sua forma eletrônica. Este é um meio é mais usual e fácil sendo necessário apenas ao MEI uma autorização d

MEI precisa apenas de autorização da SEFAZ e de um emissor online.

Novas tecnologias acelerando a Transformação Digital no varejo

Roupas, Cabides, Loja, Compras, Boutique, Camisas

A indústria do varejo no setor da moda faturou no Brasil apenas no ano passado R$ 156,3 bi. O setor empregou em 2018 1,479 milhões de pessoas com empregos diretos e 8 milhões de forma indireta. Com esses números positivos o setor tem o desafio de continuar se inovando para acompanhar as outras áreas, pensando nisso, a transformação digital atua como um gatilho para a indústria da moda, pois todos os dias as novas tecnologias estão influenciando no desempenho das empresas e também na relação delas com o cliente.

Entre as tecnologias que tem maior destaque na transformação digital desse setor, os aplicativos mobile são os mais importantes. Com esses aplicativos, é possível personalizar as ações para cada cliente. Assim, responsáveis pelas analises da empresa podem cruzar informações e, com isso, informar a todos os setores da empresa sobre quais produtos devem receber uma atenção maior por serem mais consumidos.

Outro meio da transformação digital está no processo de modelagem 3D, que permite reduzir drasticamente o número de manequins necessários para as coleções, evitando gastos desnecessários. Já na parte da produção, há tecnologias que personalizam o produto com a ajuda de scanners corporais, ajudando ainda mais na decisão de compra do cliente.

As possibilidades para uso de melhorias digitais são infinitas, e, obter um meio para adentrar nesse ambiente é a fórmula para garantir a sustentabilidade e melhorar a gestão de uma empresa independente do mercado onde atue.

Trocando a transformação digital por inovação continua

Pensamento, Idéia, Inovação, Imaginação, Inspiração

Atualmente as organizações estão em uma esteira de inovação sem fim. E à medida em que o mundo vai se tornando digital, as expectativas e necessidades  dos clientes por novas experiências, serviços e funcionalidades aumentam significativamente. A necessidade de fornecer sempre o mais recente e o melhor acaba se tornando um problema para toda empresa.

Porém, visualizar a transformação digital como um objetivo final em uma caminhada pode ser um grande desafio para as organizações. À medida que os projetos de transformação digital atingem seu possível destino final, as companhias acabam ficando mais vulneráveis ​​aos concorrentes que sempre desejam ultrapassar os limites e buscando uma forma de surpreender o mercado com algo novo. Para isso não acontecer, as empresas deveriam mudar a maneira como encaram a transformação, pensando na mesma como uma atividade constante e não apenas como uma meta.

Ter a inovação presente em todas as atividades permite a evolução das empresas, além da adaptação para os novos movimentos de mercado que surgem a todo momento.

Para conseguir uma inovação plena, as organizações deveriam pensar além da infraestrutura estática, e buscar reforçar a migração para a computação na Nuvem. Além disso, ter um ambiente de TI mais dinâmico é um ponto crucial para impulsionar a entrega contínua de novos produtos e serviços, a inovação constante exige um ambiente de tecnologia flexível e escalável, que permita à empresa acompanhar o ritmo das mudanças no mercado.

ASSESPRO-BA realiza 1° Congresso LGPD

Nenhuma descrição de foto disponível.

A ASSESPRO-BA vai realizar nos próximos dias 23 e 24 de outubro o primeiro Congresso sobre a Lei Geral de Proteção de Dados do Estado. A partir das 18h o evento vai contar com 14 palestrantes, entre eles o especialista em Defesa do Consumidor, Celso Russomano.

Abordando o tema de, como as empresas devem se preparar para a chegada da LGPD em 2020, o encontro também vai contar com minicursos com temáticas entre: Como lidar com incidentes de dados respeitando a LGPD.  Nesse 1º Congresso será possível ter a visão geral dos impactos da nova lei no mercado, além dos procedimentos que devem ser adotados, e os desafios dos profissionais para a proteção dos dados pessoais.

As palestras começam às 18h nos dois dias e serão transmitidas ao vivo pela internet através dos canais da ASSESPRO-BA no YouTube e no Facebook.

Desafios da gestão de TI

A vida do profissional gestor de TI não é fácil. A tecnologia está em todas as atividades em uma empresa, independentemente do seu tamanho, acompanhar as tecnologias que permitam a empresa melhorar suas atividades, é papel do gestor de tecnologia. Mesmo em grande parte das organizações onde o negócio principal não é desenvolvimento de tecnologias, ela tem grande importância para a eficiência operacional.

Ser inovador e conhecer a fundo cada negócio da empresa para assim oferecer soluções e promover a evolução tecnológica e a transformação digital, são o principal trabalho do Gestor de TI, e às vezes, essa pessoa só é lembrada quando o ambiente tecnológico da empresa tem algum defeito apontado por quem consome o produto.

Um bom Gestor de Tecnologia deve estar sempre de olho no mercado facilitando à empresa acompanhar a corrida digital. Ele deve também ter ações de forma precavidas, resolvendo problemas antes que eles possam aparecer. Antever diagnósticos e antecipar possíveis dificuldades permitindo criar um plano de resolução antes de algum problema acontecer para não prejudicar a empresa.

São esses profissionais que tem a visão de como a tecnologia pode mudar e gerar novos negócios, e que conseguem também integrar a empresa tecnologicamente e obter ganhos dessa integração como gestão unificada de dados, controles e segurança da informação.

Computer Vision tecnologia que pode revolucionar negócios

Olho, Tecnologia, Imaginação, Comunicação, Interação

Um novo termo no mercado, o Computer Vision (Visão Computacional) está ganhando força e pode chegar a ser uma tendência no futuro assim como o big data e a inteligência artificial. Esse termo está presente na Ciência da Computação e se utiliza da IA para fazer a analise de imagens que podem gerar dados para as empresas que possam servir para decisões futuras do negócio.

Essa nova tecnologia está um nível acima do Analytics. A Visão Computacional mostra sua utilidade sendo usada como meio para produzir um contexto em tempo real para obter a inteligência analítica e assim atingir maiores e melhores taxas de otimização comercial.

Um exemplo do uso da Computer Vision está nos supermercados e no varejo em geral, a empresa pode utiliza-la para ajudar as compras dos clientes que mais frequentam o local, se baseando em dados do cliente,  histórico de compras e etc. Assim a CV possibilita prever, prescrever e acertar quais as iniciativas devem ser adotadas para aumentar as chances de consumo daquele cliente.

Essa tecnologia também pode ser utilizada para medir, através de câmeras, o número de clientes dentro de uma loja, fazendo assim um mapa de calor para definir a organização das prateleiras, e facilitar o acesso aos produtos mais consumidos além de promoções para aumentar o número de unidades que são compradas.

A tecnologia está avançando cada vez mais rápido e agora está se tornando possível prever o futuro de seus clientes, assim você pode além de acertar sempre no gosto do freguês, fornecer sempre uma experiência melhor para ele em seu estabelecimento.

 

FONTE: site – www.itforum365.com.br