Posts

Banco Central quer substituir DOCs e TEDs

Cartão De Crédito, Pagamento, Crédito, Cartão, Dinheiro

O Banco Central, visando dar mais agilidade e praticidade aos consumidores, está desenvolvendo um sistema para pagamentos instantâneos que pretende acabar com a necessidade de se ter um banco como intermediário para uma transação. A mudança vai acabar com as transações com dinheiro em espécie ou por meio de transferências bancárias (TED e DOC), sendo substituídas por operações feitas diretamente entre as pessoas.

O BC afirma que a medida vai garantir que as operações não tenham mais tarifas bancárias, além de possibilitar transferências em tempo real, sem o processo de realizar um apagamento apenas entre às 6h30 e às 17h para que ele seja confirmado no mesmo dia.

Segundo o órgão a medida beneficiará não só os compradores, mas também os comerciantes, que, sem um intermediário, o estabelecimento comercial irá emitir um código único que poderá ser lido pelo celular do cliente para que seja realizado o pagamento, e o mesmo não vai solicitar os dados de quem receberá o valor, segundo o banco o pagamento será feito como uma lista de contatos, basta escolher quem vai receber e a ação será realizada.

Em justificativa para a nova forma de pagamentos, o BC explica que a fez tanto para garantir o ganho máximo entre os pagamentos quanto por questionar o funcionamento do processo atual, realizando-a de forma mais “intuitiva e simplificada com informações de fácil conhecimento, como número de telefone ou conta de email”, disse a entidade.

A chegada do 5G

Nos últimos dias noticias sobre a nova conexão 5G tem sido o grande centro das atenções, e pensado nisso Cristiano Amon, responsável por falar sobre a nova tecnologia em todo mundo fará uma palestra para falar sobre como a conexão irá impactar a economia brasileira. A tecnologia deve ter suas frequências licitadas em leilão do governo brasileiro já no ano que vem.

Perguntado, o executivo afirmou que, o 5G vai acelerar a transformação digital das empresas, e tornará a economia brasileira mais dinâmica e com nível de competitividade global.  Cristiano ainda fala que a nova velocidade atende a necessidade de vários outros setores da indústria.

 

FONTE: SITE – correiobrasiliense.com.br.